03  12
2014
Burocracia

Compra de imóvel na planta com o namorado

imovel-planta-namorado-cma

Algumas leitoras estavam me perguntando sobre a compra de imóvel na planta com o namorado, quais os riscos e como deveriam proceder. E como eu já passei por essa experiência resolvi abordar o assunto por aqui! ;)

Apesar de muitos casais optarem por alugar um imóvel para iniciar uma vida a dois, muitos preferem comprar e ter a garantia da casa própria, seja através de financiamentos ou não. E por mais que a fase do namoro seja como um conto de fadas e tenha muito amor e confiança, ainda assim devemos manter os pés no chão quando falamos em finanças e negócios, afinal ninguém consegue prever o futuro por mais lindo que o presente seja.

Todas as dicas abaixo são para casais que não moram juntos ainda, ou seja, que não tem união estável!

Dividindo as contas

A primeira dica é encarar a compra em primeiro plano como um investimento, mesmo que o futuro imóvel seja para iniciar a vida a dois. Partindo deste princípio de “sociedade”, aconselho a dividir os gastos em duas partes iguais. Muitas vezes uma das pessoas tem uma renda maior que a da outra, mas o mais aconselhável é definir os gastos a partir da menor renda, e enquanto isso a pessoa que tem a renda maior pode ir guardando o que sobra em uma poupança ou fundos de investimentos, por exemplo.

O contrato de compra

Outra dica fundamental é colocar o nome dos dois no contrato de compra, não importa se é um imóvel na planta ou pronto, o importante é registrar o contrato com os dois nomes, assim cada um tem direito a metade do imóvel. O contrato tem o mesmo valor jurídico do que de pessoas casadas.

Garantias

Guarde todos os comprovantes de pagamento, depósitos ou transferências. É muito comum um dos dois ficar responsável pelo pagamento do boleto bancário referente a parcela do financiamento e a outra pessoa acaba apenas fazendo o depósito da metade do valor na conta. Ou então o combinado pode ser um dos dois pagar o 1º boleto e o outro pagar o seguinte e assim por diante. Em todos os casos sempre guardem os comprovantes como garantias.

Falecimento

Além do fato de acontecer o término do namoro, também me perguntaram o que fazer no caso de morte (ai que horror!), mas infelizmente temos que prever tudo, não é mesmo? Então no contrato e no financiamento com o banco geralmente tem a cláusula, mas se não tiver, peçam para rever. O mais comum é o banco arcar com 50% das parcelas no caso de morte de um dos compradores, então a outra pessoa não precisaria assumir a dívida sozinha em caso de falecimento do parceiro.

Dicas para a compra

Para evitar taxas de juros abusivas e até mesmo facilitar a aprovação de crédito, é indicado que o casal economize em torno de 30% do valor total do imóvel para pagar a entrada. Tenham calma e muita paciência na procura do imóvel, além de adequar o preço que vocês podem pagar, tem uma série de itens a ser verificados como metragem quadrada, região e muito mais. (Este outro post aqui pode ajudar!).

Verifiquem a possibilidade de usar o FGTS no momento das chaves, pois é um bom caminho para ajudar com uma dívida tão grande e séria como esta. Para alguns programas de compra de imóvel como o MCMV é até permitido utilizar o FGTS como entrada também.

Quando vocês dois decidirem e forem assinar o contrato, vale muito a pena pedir ajuda a um advogado ou alguém da família que entenda sobre o assunto, pois existem uma série de índices e taxas que vocês podem não conhecer e que estão descritas no contrato (muitas vezes até de forma abusiva).

Imposto de Renda

AH! E na hora de declarar o Imposto de Renda, se os dois colocaram os nomes no contrato e estão pagando metade/metade fica bem simples, é só colocar os valores que foram pagos até o último mês do ano assim como as demais informações como CNPJ, banco que está fazendo o financiamento, etc.

Abaixo tem um vídeo explicando o passo-a-passo, embora nele a pergunta seja sobre um imóvel que está só no nome do namorado, mas a ideia é a mesma, o que vai mudar é que os dois vão declarar partes iguais no IR.

Ah, caso haja o rompimento do namoro enquanto o imóvel ainda está em construção, há algumas possibilidades:

  • Vender o imóvel e dividir o valor em duas partes iguais;
  • Se uma das pessoas puder arcar com a dívida sozinha, ela compra a parte do outro que já foi paga (neste caso verifique se a renda é compatível com o valor das parcelas restantes);
  • Os dois podem continuar pagando as parcelas até o recebimento das chaves e depois vender (geralmente é um caso mais difícil de acontecer!);
  • Devolver o imóvel para a construtora e resgatar parte do valor para dividir entre os dois (só vale a pena se estiver muito no início do contrato, pois a multa geralmente é grande e o valor de resgate é baixo).

É claro que todos torcemos muito pra que dê tudo certo e que a união seja feliz para sempre! Mas como disse acima ninguém consegue saber o dia de amanhã, então seguindo essas dicas ninguém sai prejudicado caso haja um término na relação.

Espero ter ajudado a solucionar as dúvidas!
E se alguém quiser completar com mais informações e experiências, fiquem a vontade. ;)

Veja mais sobre o assunto na categoria Burocracia do blog.

Imagem: Tumblr

Acompanhe o blog nas redes sociais seguindo:
Twitter ❤ Facebook ❤ Instagram ❤ Youtube ❤ Bloglovin

39 comentários
Deixe um comentário pra mim!

  1. Driely
    03.dezembro.2014

    Isso ai Bru, concordo com tudoo que você falou.
    Assinei no mês passado o contrato do apê com o meu namorado, está na planta e fica pronto em 2017, já estou ansiosa rsrsrsrs.
    Acompanho o seu blog a bastante tempo, e agora poder realmente por em pratica varias dicas que aprendi aqui é muito gratificante e muito legal.
    Esses dias falando com uma amiga minha fiquei apenas com uma dúvida que acabei não me atentando antes. Quando você recebeu as chaves e assinou o contrato de financiamento do imóvel com o banco, o financiamento foi em cima do valor te passado quando você assinou o contrato na planta ou já o valor reajustado com a valorização do imóvel?
    Se você já falou em algum lugar aqui, me desculpa, mas não me recordar de ler sobre isso e fiquei preocupada de ter um aumento além do INCC rsrs

    Obrigada pelo blog
    e muito sucesso sempre =)

    Beijos

    • 03.dezembro.2014

      Oi Dri, o aumento é o INCC mesmo, ele incide no saldo devedor final também viu, não só nas parcelas, então por isso o saldo na hora de financiar fica bem mais alto. Portanto o valor de início no contrato não será o mesmo na hora de financiar depois das chaves, entendeu? (isso se vc está financiando a obra diretamente para a construtora e não com o banco ainda).

      • Driely
        03.dezembro.2014

        Aaaaah intendiiii.
        Com o aumento do INCC estou me programando já.
        A sorte é que o apê que comprei é uma obra que a Caixa está tomando conta já (não é pelo minha casa minha vida) mas no fim vou assinar o contrato de financiamento daqui 6 meses já, ai falaram que já bloqueará o INCC. E como eu já sabia o que era graças a você foi o que mais nos animou a fechar o contrato rsrsrs
        E sou do grande ABC tbm, vou até aproveitar as dicas dos fornecedores mais pra frente tb rsrsrs.

        Beijos Bru
        obrigada =)

        • 03.dezembro.2014

          Ai que legal Dri, fiquei feliz em ter ajudado então! :)

  2. Mari Couto
    03.dezembro.2014

    Valeu pelas dicas Bruna era uma dúvida minha e vc ajudou mt.
    bjs

  3. KELLY MENDONÇA
    03.dezembro.2014

    Adorei o post. Comprei o apê na planta com o marido, e não tive ninguém para dar dicas, me arrependi profundamente. No meio do caminho estão aparecendo várias taxas e outras surpresas desagradáveis. Quem me dera ter lido seu blog antes! Rsrs
    Parabéns pelo blog, estarei sempre por aqui ;)

    • 03.dezembro.2014

      Obrigada Kelly!
      Mas nunca é tarde, pelo menos agora vc vai descobrindo essas coisas e vai se prevenindo pra não levar um susto maior lá na frente!
      Eu tbm fui descobrindo depois de ter comprado, até mesmo por isso criei o blog pra contar toda a saga hehehe

  4. Letícia
    03.dezembro.2014

    Oiii Bruna!!
    Acompanho seu blog desde o começo, entro todo dia pra ver se tem alguma novidade :)

    Não entendo quase nada sobre contratos que temos que fazer ao comprar um imóvel, seu blog tem me ajudado muito em relação a este assunto e todos os outros! Muito obrigada mesmo! :)

    O apartamento está no nome do meu namorado, já estamos terminando de pagar a entrada (não vejo a hora que termine kkk), mas com tantos papéis e contratos, que eu já vi, não sei se já foi feito o contrato de compra?? Você sabe dizer se só faz este contrato depois que entrega as chaves? Desculpa pela pergunta que estou fazendo, é que eu não entendo mesmo e se você já comentou pelo blog também não me recordo.

    Obrigada Bruna!
    Sucesso sempre, você merece, mesmo não te conhecendo pessoalmente, saiba que eu admiro muito você e o seu trabalho com o blog.

    Beeijos

    • 03.dezembro.2014

      Obrigada Letícia! <3
      O contrato de compra é feito assim que vocês fecham o negócio com a construtora, então pelo que entendi o contrato foi feito somente no nome dele, né...
      Bjsss

  5. Adriana Dias
    03.dezembro.2014

    Ótimas dicas, Bru! Mesmo tendo comprado meu apê sozinha este ano, são informações super valiosas. E que bom que vc também colocou sobre a declaração de compra do imóvel no IR, estava em dúvida de como deveria fazer a declaração ano que vem. Valeu!! Beijão

    • 03.dezembro.2014

      Obrigada Adri, que bom que gostou! Essa parte da declaração do IR é sempre complicada mesmo!

  6. 04.dezembro.2014

    Bruna, que tal fazer um post voltado para pessoas solteiras? Eu sei que não foi a sua experiência, mas vc sempre pesquisa e se dedica tanto nos seus posts que acho que seria ótimo! Minha maior questão é não ter outra renda para somar com a minha, resultado: os apartamentos que tenho condições de comprar são em áreas desvalorizadas ou teria que fazer um parcelamento muito longo. Eu tenho medo de comprar um que minhas condições permitem no momento e ter muita pouca valorização ao passar adiante! Talvez um consorcio seria uma alternativa, mas o tempo de espera é mt longo! Qualquer orientação seria bem-vinda! Adoro o blog! Beijos!

    • 04.dezembro.2014

      Oi Pri, claro, mais pra frente posso falar sim sobre o assunto!
      Mas realmente se vc já fez uma pesquisa da região e valores, então recomendaria o consórcio neste caso, a não ser que você encontre um imóvel em uma região nem tão cara nem tão desvalorizada e consiga equilibrar na sua renda… mas tem que garimpar bem!
      Bjão e boa sorte!!!

  7. 04.dezembro.2014

    Ótimas dicas Bruna!

    Beeijos

  8. 04.dezembro.2014

    Oi Bruna.

    Essas dicas são interessantes. Afinal, não dá para prever o futuro.
    É difícil pensar, quando estamos empolgados, em situações tão delicadas como esta que você mencionou.

    Beijos

    http://elaeodinheiro.blogspot.com.br/

    • 04.dezembro.2014

      Sim é difícil mesmo Ana Maria, a gente sempre quer enxergar só o lado do mar de rosas, mas temos que manter os pés no chão nesse momento da compra de imóvel!

  9. Carol
    04.dezembro.2014

    Esse tema é interessante.. e tenho muitas dúvidas rs
    Eu comprei e assinei o contrato do imóvel este ano ( Nome dos dois no contrato) e ia casar este ano até para a declaração do ano que vem já colocar o imóvel comprado junto, mas como somos só namorados e iremos casar ano que vem, não tenha idéia de como declarar, já que o contrato está no nome dos dois..
    Outra questão é o que foi gasto de reformas também tem que ser colocado no IR ? Como valorização do imóvel não é ? Obrigada

    • 04.dezembro.2014

      Oi Carol, seu caso é como o meu, vou declarar a parte que paguei e ele a dele… exatamente como no vídeo!
      A questão da reforma estou pesquisando pq tbm preciso declarar, mas em breve vou falar disso aqui, assim que conseguir mais informações, ok?
      Bjsss

  10. 04.dezembro.2014

    Oi Bruna!!! Acompanho seu blog e canal há bastante tempo.. Porém acho que nunca comentei aqui no blog, é a primeira vez! rs Inclusive te mandei um e-mail há um tempo atrás e você me respondeu e fiquei super feliz! Então, adorei esse post, eu moro com meu namorado há pouco mais de 1 ano e meio, mas como vc falou no início do post, moramos de aluguel. Até buscamos formas para comprar financiado, fomos em duas imobiliárias daqui da nossa cidade, que nos informaram que o mais indicado para nosso perfil era o MCMV, mas no momento não tinham novas previsões de obras aqui na cidade. Recentemente mudamos de casa, alugamos outra casa que é bem melhor, mais arejada, enfim! Mas mesmo assim não perdemos a esperança de um dia comprar algo nosso! Adoro saber essas coisas pra quando finalmente comprarmos nosso cantinho, eu não ser pega de surpresa né? Mas realmente esse valor a mais na entrega das chaves ainda não ficou muito bem esclarecido pra mim.. Sei que você já falou isso aqui no blog e no canal, mas acho um pouco confuso! Bom, sobre morar de aluguel, tem gente que acha que é um dinheiro desperdiçado e tals, mas não acho tanto assim, pois apesar do imóvel não ser seu e não poder fazer grandes obras e reformas, você está pagando para utilizar a casa, e você acaba tendo que se adequar a estrutura da casa ne? Mas para mim isso não é problema.. Até porque no financiamento, a casa também só passa a ser sua, quando o financiamento termina ne? Até então, ela é do banco, e se você parar de pagar eles podem te tomar, certo?
    Obrigada por todos os esclarecimentos.. E parabéns pelo trabalho!
    Beijocas

    • 04.dezembro.2014

      Oi Re, depende muito do ponto de vista, pra muitas pessoas eu acho que o aluguel é o mais indicado, principalmente se ela tem como guardar o dinheiro e fazer ele render mais do que o juros de um financiamento por exemplo e se o aluguel não for tão caro tbm… Muita gente consegue fazer uma poupança muito maior do que alguém que está financiando devido aos altos juros, então tudo tem que ser bem pensado e analisado, caso a caso!
      Obrigada pelo carinho!
      Super beijoooo

  11. Lylian Viana
    04.dezembro.2014

    Oi Bruna..

    Acompanho seu blog já faz um tempinho e acho que já lí quase todos os seus post’s e os seus videos, e entro todo dia pra ver se tem alguma novidade!

    E nesse ultimo post você abordou um tema no qual estou vivendo atualmente, acabo de comprar um apto na planta com o meu noivo, e suas dicas tem nos ajudado muito.

    Não sei se você tem conhecimento sobre o credito associativo, pois é por ele que vamos fazer o financiamento, já assinamos os contratos há uns 4 meses e nos falaram que em até 8 meses estariam nos chamando pra fazer o financiamento direto pelo Banco do Brasil, após o financiamento o valor continuara sendo corrigido pelo INCC?

    Não consegui localizar nenhum post anterior sobre isso.

    Conhece algum site que trate do assunto??

    Obrigada e sucesso!

    • 04.dezembro.2014

      Oi Lylian, obrigada! Fico feliz! <3
      Pelo que entendi vc já está financiando com um banco ou empresa de crédito, certo? E após alguns meses passa para o financiamento imobiliário definitivo, né?
      O INCC só incide durante a construção de um imóvel, ou seja, até a entrega com o habite-se, então a partir do momento que sai este documento habite-se nenhum empreendimento pode cobrar INCC mais, somente as demais taxas como iGP-M... etc...
      Bjsss

      • Lylian Viana
        04.dezembro.2014

        Isso Bruna, por enquanto estamos pagando apenas a entrada corrigida mensalmente pelo INCC e daqui uns meses já vamos financiar com o banco.

        Ou seja, quando me entregarem as chaves vou pagar a diferença néh?

        Obrigada pelas informações.

  12. Lylian Viana
    04.dezembro.2014

    Bruna, cade o meu comentário??

    Não achei….

    • 04.dezembro.2014

      Oi Lylian, não aparece na hora porque ele vai pra aprovação antes, aí quando respondo ele entra no blog! ;)

  13. 04.dezembro.2014

    Bruna, esse post me ajudou bastante porque eu to na fase de juntar dinheiro e procurar apartamento junto com o namorado =) Apesar de tudo, sempre rola um medo né? Tenho dúvidas sobre apartamento na planta e INCC, ô coisinha complicada! http://simsemfrescura.blogspot.com.br/

    • 04.dezembro.2014

      Oi Paola
      Sei bem o que está sentindo, mas tenta pesquisar bastante antes de fechar o contrato. Assim pelo menos vc se sente mais segura!
      Bjsss e boa sorte!

  14. 05.dezembro.2014

    Olá Bruna, há muito tempo que acompanho o blog em silêncio, hoje decidi comentar, para vermos as diferenças entre a compra de casa aí no Brasil e cá em Portugal.
    Eu e o meu namorado comprámos casa em Fevereiro de 2012, comprámos um apartamento bem antigo e fizemos as obras necessárias.
    A casa pertencia ao banco, quer isto dizer que houve alguém que pediu empréstimo bancário para comprar esta casa, depois deixou de pagar, e o banco retomou a casa, e voltou a vendê-la a nós.
    Como Portugal está numa grande crise há mais de 3 anos, os bancos têm milhares de casas retomadas por falta de pagamento, fazem por isso condições especiais de financiamento, para venderem as casas deles, e dificultam muito a quem queira comprar casas que não lhes pertençam, com juros muito altos, necessidade de pagar de entrada 20% do valor do imóvel, entre outras imposições e custos.
    Como a nossa casa era antiga e precisava de muitas obras, conseguimos um bom preço, e não tivemos de pagar entrada, esse valor ficou para fazermos as obras, mesmo assim o financiamento irá durar 40 anos (podia ser menos tempo, mas a prestação mensal ficaria mais alta), quer isto dizer que no final dos 40 anos na prática teremos pago cerca do dobro do valor pedido inicialmente, tudo isto são juros para o lucro do banco que nos emprestou o dinheiro a nós, e juros para o banco pagar ao Banco Central Europeu, que emprestou o dinheiro ao nosso banco em Portugal (confusão).
    Nós podemos a qualquer momento começar a pagar mais dinheiro para diminuir o valor do empréstimo, por exemplo, podemos pagar as prestações normais, e no fim de cada ano dar mais um X que economizámos, isto não vai diminuir os anos de empréstimo, mas vai baixar o valor em dívida e o valor das prestações seguintes, ou seja no ano seguinte começamos a pagar menos dinheiro mensalmente.
    Outra diferença enorme em relação ao Brasil é que no momento do empréstimo, somos obrigados a fazer um seguro de vida em que o banco é o beneficiário, ou seja, no caso de um de nós morrer, a seguradora paga a casa na totalidade ao banco, e a casa fica para para o outro membro do casal, e a dívida acaba (no caso de o empréstimo ser no nome dos 2), caso alguém compre casa sozinho, e depois morrer, a casa fica para os herdeiros.
    O mesmo acontece se algum dos titulares do empréstimo ficar com uma incapacidade acima de X% (agora não sei o valor certo), por isso se um de nós morrer, o outro fica com a casa totalmente paga, neste caso não se aplica a lei normal das heranças, porque nós é que somos os titulares do empréstimo, só em caso de morte dos 2 é que a casa seria entregue aos herdeiros, que neste caso, seriam os nossos pais, pois nós ainda não temos filhos.
    Bem, que comentário TÃO COMPRIDO.
    Já não te chateio mais.
    Beijos.
    Ana Silva

    • 08.dezembro.2014

      Oi Ana, fiquei feliz que decidiu comentar!
      Algumas coisas são parecidas com o Brasil, outras não… mas fiquei feliz por vcs que conseguiram realizar um sonho e ainda mais em outro país!
      Bjssss

  15. Claudio
    05.dezembro.2014

    Bruna, vc poderia falar para nós sobre os tipos de contrato de casamento? Tipo, comunhão, separação e etc… Porque daí tem o imóvel que está no nome só de um pra pensar, afinal, como vc disse, não sabemos se no futuro o ‘happy ending’ vai permanecer… acho que é um assunto legal pra publicar, mesmo porque vc já está quase casando, né… beijos

  16. Arcilandia
    04.janeiro.2015

    Olá Bruna!
    Descobri agora seu blog através dos vídeos no youtube sobre o Incc rsrs, eu e meu namorado estamos para comprar nosso ap na planta e vimos procurar informações sobre essas taxas e juros e estou amando suas dicas, assim ficaremos mais seguros na assinatura do contrato.
    Parabéns!!

  17. Michelle
    09.maio.2015

    Ola!!estou com um problemaço!!eu e meu namorado compramos um apartamento em 2013 com previsão de entrega para 2016…acontece que infelizmente ele rompeu o namoro, e agora fica a dúvida: Fico com o apartamento,já que ele abriu mão da parte dele, ou vendo, pois não havia programado de pagar tudo sozinha, ira ficar muito apertado pra mim, achei que era um amor pra vida inteira, e também não quero mais morar lá!!por favor me ajudem!estou desesperada!!

    • 09.maio.2015

      Oi Michelle, se vai ficar apertado pra vc pagar sozinha então é melhor vcs venderem pra uma outra pessoa, a não ser que o seu ex queira assumir tudo sozinho. :)
      Mas faça isso já, antes que a dívida aumente mais e vc se complique!

  18. GILBERTO SCHNEIDER
    03.agosto.2016

    Boa tarde,

    Ja moro ha 3 anos com minha companheira, porém sem nenhum tipo de documento, compramos um Ap juntos e agora vamos nos separar, porém esta somente no nome dela. Ela atualmente esta desempregada e não tem como manter as parcelas, a entrada foi da minha parte, ela não tem a minha parte para devolver.

    o que posso fazer? Sera que eu perdi o Ap? Ou tem como transferir essa divida para meu nome, perante ao Juiz?

    No aguardo e agradeço desde jà.

  19. Liberato
    15.dezembro.2016

    Boa noite, me perdoe o horário da pergunta, é que terminei o noivado, assinamos na caixa, mas ainda nem paguei a primeira taxa da evolução da obra, a construtora está tudo ok, existe a possibilidade de quando sair a assinatura do registro for apenas no meu nome, obrigado !

  20. JESSICA ADRIELE DA SILVA
    08.maio.2017

    OI,
    Comprei apê com meu ex namorado, com o termino do namoro eu fiquei pagando sozinha, o apê está na planta, na CAIXA me informaram que eu nao consigo tirar o nome dele do contrato enquanto nao sair o apê, eu gostaria de uma dica para que eu nao perca tanto nisso.