07  02
2017
Casa | Finanças | Organização | Organização Pessoal | Vai Casar?

Conta conjunta ou separada? | Finanças para casais

O que é melhor: conta conjunta ou separada após o casamento?

Hoje vamos continuar o assunto sobre finanças para casais e como lidar com as contas ao morar juntos. Já tivemos um post sobre como dividir as contas pós-casamento e sugiro que você confira também.

Quando um casal decide ir morar junto, é muito importante pensar como ficarão as finanças, que a partir de agora serão dos dois. Pode parecer chato e até precipitado falar sobre o assunto antes de realmente ir morar juntos, mas isso pode evitar alguns aborrecimentos.

Finanças para casais - Conta conjunta ou separada?

(via)

A maior dúvida de muitos casais é: conta conjunta ou separada?

Na verdade, isso depende de cada um. Mas, um benefício de ter contas separadas é a independência. Nada mais chato do que comprar um presentinho e o maridão saber quanto você pagou né? Porém, ter uma conta conjunta também facilita muito na hora de pagar as contas. Por isso, uma boa saída seria ter uma conta conjunta, onde cada um fizesse um depósito de uma porcentagem do seu salário todo mês, e o restante ficaria na conta individual. Assim, qualquer um dos dois poderia acessar essa conta e fazer os pagamentos.

Como os salários geralmente são diferentes, é importante levar isso em consideração na hora de definir quanto cada um vai conseguir depositar. O mais indicado seria, quem ganha mais contribui com um valor maior.

Mas, se ficou definido manter as contas totalmente separadas, então será preciso definir quem vai pagar qual conta. Novamente pensando no valor dos salários, uma boa dica é somar todas as contas e então dividir em porcentagens. Por exemplo, quem tem o salário maior, fica com o pagamento de 70% das contas.

Além disso, é muito importante ter uma poupança que poderá ser usada em casos de emergência ou para a viagem de férias, troca de carro, gastos com a casa e assim por diante.

Sendo assim, cada salário deveria ser dividido em três partes. Uma parte para as contas fixas, uma outra parte para a poupança/investimentos e uma última parte para os gastos mensais.

Outra coisa que deve ser levada em consideração é deixar o cartão de crédito de lado, pelo menos nos primeiros meses do casamento. Nessa fase, ainda estamos aprendendo a lidar com todas as situações novas. Por isso, pode acontecer de gastar um valor no crédito (que a gente acha que vai conseguir pagar) e não conseguir arcar com mais esse gasto. Daí, começam a rolar os tão temidos juros. Alguns casais costumam fazer as compras do mês ou gastos semanais como açougue, tudo no cartão de crédito. Isso pode acabar sendo um problema, porque não dá pra mensurar muito bem quanto está sendo gasto. O melhor é pagar tudo com dinheiro (débito).

Todo esse planejamento nos ajuda a ter uma visão ampla dos gastos mensais e não comprometer mais do nosso dinheiro do que é possível, evitando assim dívidas, juros etc.

Pode parecer meio difícil no começo, mas com o tempo tudo se ajeita. Há quem goste de fazer o controle em planilhas no computador, em aplicativos no celular ou até no papel e isso ajuda muito. Mas, o que importa mesmo é ter uma boa saúde financeira e um casamento mais feliz.

O ideal é quando solteiros, os dois já desenvolverem posturas mais responsáveis nas questões financeiras, assim fica mais fácil quando resolverem morar juntos. Se você quer aprender a economizar para conquistar uma vida financeira independente desde já, sugiro que veja essa apresentação em vídeo. Trata-se de uma forma muito eficaz e garantida de conquistar seus objetivos e metas, além de ao mesmo tempo organizar todas as suas finanças pessoais. Assista e se surpreenda, e não esqueça de vir aqui depois me contar o que achou das dicas!

Nada como ter uma vida organizada com possibilidades de alcançar os nossos sonhos. ;)

7 comentários
Deixe um comentário pra mim!

  1. 07.fevereiro.2017

    Noooossa, eu acompanho o seu blog a um temp]ao e só hoje fui notar que tu é de Diadema..
    rs.

    Eu sou de SBC, somos quase vizinhas! kkkkk

  2. 08.fevereiro.2017

    Eu ainda não moro com meu namorado, mas temos planos de casar e já falamos sobre isso. Ele faz questão de conta conjunta e eu acho bem bacana a ideia, mas acho que cada um também precisa ter sua conta particular por uma questão de independência e praticidade! Gostei muito das dicas Bruna, obrigada e parabéns.

    • 08.fevereiro.2017

      Fico feliz que tenha gostado Lyra, eu tbm acho que a conta individual vale a pena, até mesmo pq nós mulheres precisamos gastar mais do que eles com coisas relacionadas a beleza e bem estar rsrs

  3. Priscila
    08.fevereiro.2017

    Acho que a opção de usar ou não crédito vai mais do controle da pessoa do que estar casada ou não. O complicado é que as pessoas acham que o crédito pode ir gastando sem controle. Na verdade são pessoas que não sabem o que podem gastar. Se usado corretamente é a melhor forma de controlar as finanças, acompanhando cada gasto a pagar. Quanto a conta, acho que por isso que muitos casamentos não dão certo, o individualismo atual, isso eu pago e isso vc paga nunca forma um casal. Independência é ter princípios e serem respeitados por ambas partes. Nada impede que um pague tudo que seja fixo e o outro os diversos e o montante da reserva, quando possível.
    Cada pessoa tem um ponto de vista, mas pensem: um casal não pode ser uma independência divisora, e sim, agregadora.

    • 09.fevereiro.2017

      Isso aí Pri, claro que existe sim uma individualidade de cada pessoa e é muito importante, mas um casamento é quando dois se transformam em um e nas contas da casa isso influencia muito!

  4. Giovana
    13.fevereiro.2017

    Oi Bruna! Realmente muitos casais não sabem como lidar com essa questão. Sou casada há seis anos, e desde que nos casamos não tivemos dificuldades com esse assunto, pois nosso pensamento comum sempre foi “união”, não existe mais o salário “dele” ou o salário meu, mas sim o nosso orçamento. Temos conta em conjunto e cartão de crédito em conjunto. Tudo que ganhamos vai para uma conta só, pagamos todas as nossas despesas e decidimos juntos onde aplicar o que sobra no mês. Cada um tem a liberdade de comprar coisas pessoas, sem o outro ficar fiscalizando ou vetando, mas claro, dentro do nosso orçamento, Meu marido faz uma planilha de despesa no computador, para que tenhamos um controle melhor das finanças e tem funcionado muito bem. Isso funciona para nós, porque nenhum dos dois é consumista, somos bem parecidos, então dá certo. bjs.